A NephroCare utiliza cookies no site para melhorar a experiência do utilizador e fornecer o melhor serviço possível. Ao continuar a navegar no site, irá concordar com a sua utilização. Para mais detalhes, consulte a nossa política de privacidade.

Notícias

Uma história de amor que começou em uma clínica de diálise

O Dia dos Namorados, comemorado em 12 de junho, é uma data na qual muitos casais celebram o seu relacionamento e demonstram gratidão pela dedicação mútua à união. É o caso de Rejane Silva de Oliveira, 42 anos, e Cidnei Estulano de Oliveira, 45 anos, ambos pacientes da Clínica de Doenças Renais (CDR) Vila da Penha, juntos há quase 20 anos.

O início do romance

“Nos conhecemos quando eu comecei a fazer a diálise. Nossa aproximação foi na sala de espera da clínica, quando passamos a conversar sempre que nos encontrávamos. Depois disso, veio o namoro, nos apaixonamos e, há dez anos, somos casados”, relata Rejane.

Rotina na clínica de diálise

Pacientes renais precisam realizar o tratamento dialítico, em geral, três vezes por semana e cada sessão dura de três a quatro horas. A paciente conta que tanto em casa, como na clínica, o casal sempre se ajuda. “Não nos separamos por nada. Nossa história fazendo o tratamento juntos há tanto tempo impressiona todo mundo”.

Sobre a hemodiálise

A terapia se constitui em um procedimento no qual o sangue do paciente é filtrado com auxílio de uma máquina de hemodiálise. No processo, o sangue retirado do vaso sanguíneo passa pelo dialisador, filtro sintético que retira as impurezas que são trocadas por difusão com um líquido chamado banho de hemodiálise. Após ser purificado pelo dispositivo, o sangue volta ao corpo do paciente.

Leia mais: convivendo com a doença renal