A NephroCare utiliza cookies no site para melhorar a experiência do utilizador e fornecer o melhor serviço possível. Ao continuar a navegar no site, irá concordar com a sua utilização. Para mais detalhes, consulte a nossa política de privacidade.

Notícias

Entenda a doença renal policística

Acompanhamento nefrológico, diagnóstico precoce e alta ingestão de líquidos podem retardar a progressão da doença renal policística

Caracterizada pela presença de múltiplos cistos de crescimento lento e progressivo em ambos os rins, a doença renal policística é considerada o distúrbio hereditário mais comum entre os seres humanos. Mulheres e homens podem ser acometidos e a passagem ocorre de pais para filhos de forma dominante. Ou seja, se o pai foi diagnosticado com a doença, há 50% de chances de o filho desenvolvê-la.

Principais sintomas

Lecticia Jorge, Gerente Médica Nacional SH da Fresenius, explica que o aumento dos cistos na região pode gerar dor lombar e abdominal. “Existe, ainda, uma piora na função renal, dificuldade de concentrar a urina e os pacientes são capazes de evoluírem para um quadro no qual precisam do tratamento de hemodiálise. Outra complicação é o sangramento desses cistos, que tem potencial de ocasionar dor, sangue na urina e infecções dos cistos”.  

Diagnóstico

A investigação é realizada através de exames de imagem e leva em conta fatores como a idade, a quantidade de cistos e o volume dos rins da pessoa. “Quando houver o diagnóstico da doença renal policística é importante avisar aos membros da família que ela é hereditária”, alerta. O exame genético é outro método capaz de detectá-la, mas ele não está amplamente disponível.

Opções de tratamento

Embora não existam formas de prevenção primária e cura para esse distúrbio, os pacientes devem fazer o acompanhamento nefrológico e precisam realizar avaliações constantes com o intuito de reduzirem a velocidade da progressão da doença e, também, de tratarem as suas possíveis complicações. “É recomendada, ainda, uma grande ingestão de líquidos para manterem os volumes urinários altos, pois isso inibe um hormônio antidiurético e diminui o crescimento dos cistos”, orienta Lecticia. Para casos selecionados, existem medicações específicas que objetivam reduzir a velocidade do aumento dos cistos, mas só devem ser utilizadas após a avaliação e a indicação de um nefrologista.


Conheça a nossa rede de clínicas